Relacionamentos

Infidelidade

o que significa nos relacionamentos?

Vivemos numa era complexa, de exigências, de muita disponibilidade de tudo. Extrema acessibilidade. Temos as app de encontros, as mensagens rápidas trocadas entre as pessoas, o trabalho imenso que deixa pouco tempo para profundas conexões.

O que mais as pessoas procuram é uma ligação profunda e forte numa relação, mas ao fim de muitos anos de a terem alcançado, o que mais procuram é uma terceira pessoa no meio de tudo isto!

Então, o que significa afinal infidelidade?

Infidelidade é no fundo a procura de partes de si que se perderam ao longo do tempo, bem mais do que a procura por uma terceira pessoa.

Infidelidade começa mais pela sensação de estar vivo, do que pela procura consciente de alguém que queremos amar, ou até mesmo pelo facto de já não amar o nosso companheiro (a).

Infidelidade costuma sempre ser a reposta a situações dramáticas da vida, ou perda de alguém querido, um diagnóstico médico, despedimento. É a resposta ao medo de continuarmos a ser a mesma pessoa que temos sido até então. E a resposta a essa situação dramática pode ser a busca de partes de cada um que se perderam, e que através de alguém que não nos conhece, que para essa pessoa é tudo novo também para nós é possível ser tudo novo.

E é por isso que quando existe infidelidade geralmente existem 3 partes magoadas. A que traiu, que nunca quis magoar o outro (regra geral, e na maioria das vezes) , e em que a infidelidade representou uma busca de si mesmo, a pessoa que foi traída que nunca esperou tal acontecimento de quem mais ama. E a terceira pessoa que meio da descoberta é geralmente deixada de lado, repentinamente desiludindo-se muitas vezes.

Então como lidar com infidelidade? Muito mais do que analisar aqui se os casamentos/relações devem ou não continuar após um acontecimentos destes…nesta matéria, cada casal vai ter a sua abordagem. É mais relevante perceber que a infidelidade, para quem procura a aventura, o caso amoroso, é muitas vezes sinónimo de infelicidade…mas infelicidade para com ela mesma, para com a a pessoa que se transformou, com a incapacidade de direcionar a vida para onde desejou, sendo muitas vezes, o caso amoroso, uma forma de recuperar alguma da fé em si mesmo, da excitação que sente falta de sentir em quem é.

E sim, é possível que casamentos continuem e trabalhar para curar este trauma. E não devemos julgar o caminho de cada pessoa, ou cada casal.

E sim, é possível que casamentos terminem. E também aqui não devemos julgar.

A profunda conexão consigo mesmo deve ser o tema mais relevante da infidelidade, por qualquer uma das partes envolvida.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.